Revista da Terra
Home Twitter


 Safra do Tomate


   está atrasada no agreste de Pernambuco



A safra do tomate está atrasada no agreste de Pernambuco. Por causa das chuvas, em agosto, os agricultores não conseguiram plantar as lavouras. Sem produto no mercado, o preço subiu.

Em quase um mês a caixa do produto pulou de R$ 12 para R$ 25. O aumento surpreendeu os clientes. Para explicar a alta no preço do tomate a equipe de reportagem foi a Camocim de São Félix, a 113 quilômetros do Recife. O excesso de chuvas no meio do ano atrapalhou a colheita.

O período de plantio começa em agosto, mas a chuva atrapalhou a preparação da terra. O agricultor Jurandir Bezerra cultiva tomate há 19 anos na fazenda de cinco hectares. Ele explicou que foi obrigado a adiar o plantio para setembro.

Agora, os agricultores correm contra o tempo para não ficar no prejuízo. “Tem que apressar porque está atrasado e vamos tratar e limpar”, falou o agricultor Marcelino Tavares.

O reflexo do atraso está mais visível em outra propriedade. De um lado está o tomate plantado no período normal e do outro o fruto depois da chuva. “Os tratores não tinham condições de entrar. Entraram em poucas áreas e em um período curto”, disse o agricultor Mauro Cabral.

O secretario da Agricultura de Camocim de São Félix, Pedro Bezerra, não esconde a preocupação. “Quem plantar mais tarde pode coincidir com a safra de Irecê, na Bahia. Então, duas safras de duas regiões que plantam tomate ao mesmo tempo pode gerar preço muito baixo para o agricultor”, explciou.

A colheita do tomate no agreste de Pernambuco deve começar só no início de dezembro.


Globo Rural


  

    1 Estrela 2 Estrelas 3 Estrelas 4 Estrelas 5 Estrelas      0  Estrela/s



Voltar   Topo

 
Comentários [1]

stoessel - 18/08/2013
o planito de tomate na regiao mde irece ocorre o ano intero


Deixe seu comentário:









[+] Artigos Relacionados:



Voltar


Fechar 

Revista da Terra - Tudo sobre agricultura, pecuária, suinocultura e vida no campo

Desenvolvido por WW Interativa